Informação - Integração - Imparcialidade

- Advertisement -

Escritora Isa Colli doa direitos autorais de 3 mil livros para projeto Pegaí

 

O livro “A Nuvem Floquinho”, da escritora Isa Colli, vai ganhar as ruas de Ponta Grossa e outras cidades do Paraná, a partir desta semana. É que a autora foi convidada a participar do projeto Pegaí Leitura Grátis, que comemora seis anos de criação. É o décimo título impresso com este selo, que tem como missão “aproximar livros sem leitores de leitores sem livros”.

Isa, que mora atualmente na Bélgica, tem sua própria editora, a Colli Books, que está conquistando o mercado editorial. Mas faz questão de colaborar com projetos sociais no Brasil, sua terra natal. Neste caso, ela doou os direitos autorais para impressão de três mil exemplares da obra que conta a história de Floquinho, a nuvem ambientalista que alerta os pequenos leitores para o desperdício da água no planeta.

“Minha ideia é levar meus livros às pessoas que não têm condições de comprá-los. Por isso decidi ceder os direitos autorais. Pesou na minha decisão o fato de ser uma iniciativa sem fins lucrativos e mantida por um grupo de pessoas como eu, apaixonadas por leitura. Espero ver meus livros espalhadas em muitos locais públicos”, afirmou.

Casamento perfeito

Para os idealizadores, a obra de Isa Colli foi a escolha ideal para celebrar os seis anos de trabalho do grupo. “A consciência ambiental também faz parte da essência do Instituto, fazemos parte da cooperação internacional em prol do planeta. Seguimos ao alcance de alguns dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU) na Agenda 2030. A parceria com a Escritora Isa Colli vem somar não só nas comemorações de aniversário do Pegaí, mas também com a toda a ideologia de seus criadores e voluntários”, dizem os administradores do Instituto Pegaí.

Entenda o projeto

O Instituto tem atualmente 170 voluntários levando leitura grátis às pessoas de dez cidades paranaenses. As obras, que chegam por meio de doação, são separadas, registradas, carimbadas, etiquetadas e classificadas de acordo com a faixa etária. Depois disso, são disponibilizadas à população nas estantes. Não é necessário fazer cadastro, basta pegar um título, levar para casa, ler e devolver nos pontos de coleta quando terminar a leitura.

Para Idomar Augusto Cerutti, coordenador do instituto, Isa Colli está agregando valor à causa.

“Isa esta nos ajudando lá de Bruxelas, na Bélgica. Ela sabe que para iluminar leitores tem que disponibilizar livros. Obrigada por ajudar a cumprir nossa missão“, afirmou.

A autora espera que a inciativa alcance seu objetivo: “não há nada mais gratificante do que perceber que nós, escritores, podemos ser instrumento de transformação”.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

×
Ola
Mande sua noticia