Informação - Integração - Imparcialidade

- Advertisement -

Tem início a campanha de vacinação contra a gripe no Rio

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) iniciou hoje (24), em todos os 92 municípios fluminenses, a campanha nacional de vacinação contra a gripe (ou influenza). A meta de imunizar cerca de 4,5 milhões de pessoas.

Rio de Janeiro – Pessoas vacinam contra a gripe na Clínica da Família (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A vacina contém o imunizante contra o H3N2 e é destinada a gestantes, crianças com idades entre 6 meses e menores de 5 anos, pessoas com mais de 60 anos, mulheres que pariram há até 45 dias e pacientes crônicos, além de profissionais de saúde e indígenas. A mobilização acontecerá até 1° de junho nos postos de saúde municipais.

A campanha no estado do Rio de Janeiro teve início na última terça-feira devido ao feriado estadual de São Jorge, comemorado no dia (23). No resto do país, a campanha começou dia (23).

De acordo com o secretário de Saúde, Sérgio Gama, “é importante que todo o público-alvo se vacine, mesmo os que já se vacinaram em outra ocasião, pois o imunizante usado sofre alterações em sua composição ao longo dos anos. Ele é feito conforme o cenário epidemiológico apresentado anualmente pelas regiões, e inclui o reforço necessário para a ocasião”.

A influenza é uma doença respiratória infecciosa que causar complicações e até a morte, principalmente para os grupos prioritários, que são de alto risco, e que ainda não estejam imunizados. Equipes de vigilância monitoram os casos de pacientes hospitalizados e óbitos decorrentes da doença com o objetivo de identificar o comportamento do vírus.

Este ano, até 16 de abril, foram notificados 167 casos confirmados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva, sendo quatro deles causados pelo vírus H1N1 e 13 provocados pelo vírus H3N2, que são dois dos três subtipos do vírus que fazem parte da imunização. No mesmo período, foram notificados 18 óbitos no estado, sendo um por H3N2.

“O H3N2 não é um vírus novo e com base nessa circulação, a vacina disponibilizada pelo governo federal é a trivalente, que previne a contaminação pelos vírus A/H1N1, A/H3N2 e Influenza B. Além da imunização, as pessoas precisam se precaver, adotando medidas preventivas como lavar as mãos com frequência e não compartilhar objetos de uso pessoal”, disse a subsecretária de Vigilância Epidemiológica em Saúde, Cláudia Mello.

Na capital do estado, o município pretende vacinar 1,4 milhão de pessoas. As mais de 200 unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde) farão a imunização de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas. Para as mulheres até 45 dias do parto, será solicitada comprovação da condição clínica.

Para pessoas que tenham apresentado febre recente, recomenda-se adiar a vacinação até que o estado de saúde melhore. Portadores de doenças neurológicas e síndrome Guillain-Barré devem consultar um médico antes de tomar a vacina e seguir suas orientações. Já pessoas com história de alergia grave e prévia a ovo ou a algum outro componente da vacina não devem se vacinar.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.